Portal de Notícias

Como escolher sua especialidade médica?


Após os 6 anos de graduação em Medicina, o estudante finalmente pode atuar como médico. Entretanto, nessa fase, o profissional só pode atender como clínico geral ou plantonista, não sendo possível o contato com cirurgias e outras especialidades da Medicina.


Para quem busca expandir o leque de atuação, a residência médica é a opção certa. Nela, o profissional poderá se especializar na área de interesse, decidindo o caminho que irá trilhar em sua carreira.


Mas como escolher sua especialidade médica?


Para tomar essa decisão, é preciso ponderar questões muito importantes, como sua vocação, interesses pessoais, qualidade da instituição em que realizará a residência e como você imagina a sua rotina de trabalho no futuro.


Pensando nisso, separamos aqui algumas dicas que irão te guiar na pesquisa e te ajudarão a tomar sua decisão. Confira!


Qual a importância da instituição para a residência?

Tão importante quanto a escolha da faculdade para a sua graduação, a instituição na qual você fará sua residência ditará muito do seu aprendizado, sendo uma variável direta nos primeiros passos da sua carreira.


Durante a residência, o profissional terá contato com especialistas da área, que irão orientá-lo em atividades práticas nos hospitais e clínicas, onde o médico aprenderá a atuar na área escolhida.


Por esse mesmo motivo, a escolha da instituição deve ser muito bem pensada, já que é lá que você encontrará seus mentores e terá as ferramentas necessárias para um bom desenvolvimento profissional.


Existem centros altamente reconhecidos no Brasil, contando também, é claro, com uma alta concorrência. Para ingressar em uma dessas instituições, a dica é participar de cursinhos especializados na preparação para o processo seletivo, que costuma ter três etapas:


  1. Uma prova teórica;

  2. Uma prova prática;

  3. Análise curricular.


O que você espera do seu futuro profissional?

Já pensou em como você se imagina no futuro? Está em busca de uma vida profissional ativa e emocionante ou algo mais tranquilo e estável?


Essa é uma pergunta muito importante que todo médico deve fazer, pois, apesar de ser uma profissão em que há sempre muito trabalho, existem algumas especialidades que exigem mais corre-corre, como é o caso das emergências, cirurgias e atendimentos em hospitais. Entretanto, algumas são mais pacatas, como o atendimento em clínicas.


Por isso, a dinâmica que você espera para o seu futuro vai ditar diretamente a sua decisão. Analise bem o que você deseja como profissional e veja quais residências se encaixam melhor com o estilo de vida que você procura.


Além disso, existem algumas especialidades médicas mais valorizadas, que consequentemente possuem remunerações melhores. Por isso, deve-se pesar também sua pretensão salarial na hora de fazer sua escolha.


Quais são as principais especialidades médicas?


Anestesiologia

Com duração de 3 anos, o especialista em anestesiologia aprenderá todas as técnicas e ferramentas mais avançadas para a sedação de pacientes, acompanhando todos os casos desde a avaliação pré-operatória até a recuperação após a cirurgia. A atuação inclui ainda casos não cirúrgicos, como pacientes com dores crônicas.


Atualmente, existem cerca de 21 mil anestesistas registrados pela Sociedade Brasileira de Anestesiologia.


Cirurgia geral

Com duração de 3 anos, essa residência prepara o profissional para atuar diretamente em cirurgias de emergência ou eletivas, desenvolvendo o preparo físico, emocional e estratégico que os cirurgiões precisam ter.


Como áreas de atuação, o especialista em cirurgia pode trabalhar de forma autônoma, como auxiliar de outros cirurgiões mais experientes, realizando plantões ou como parceiro de hospitais e clínicas, além, é claro, da docência em instituições de ensino.


Essa residência costuma ser exigência prévia para o ingresso em outras residências mais específicas, como é o caso das cirurgias plásticas.


Clínica geral

Com duração de 3 anos, é uma das áreas básicas da Medicina. A residência em Clínica Geral busca preparar o médico para entender e interpretar o conjunto de sinais e sintomas das mais diversas patologias, habilitando o profissional a atuar na investigação e atenção primária/básica, concentrada no nível ambulatorial, mas também na medicina interna, responsável pela visita dos pacientes internados.


Assim como a residência em Cirurgia Geral, essa especialização é requisito para outras residências, como a cardiologia.


Dermatologia

Com duração de 3 anos, a residência em Dermatologia busca preparar o profissional para tratar das doenças da pele, tecido subcutâneo, cabelos e unhas, abrangendo toda a área clínica e cirúrgica da Dermatologia e Cosmiatria.


No dia a dia, esse profissional pode atuar tanto em atendimentos ambulatoriais, clínicos e cirúrgicos quanto em tratamentos estéticos, com foco na beleza e alterações da fisionomia.


Atualmente, são registrados pela Sociedade Brasileira de Dermatologia cerca de 7.000 profissionais.


Medicina esportiva

Com duração de 2 anos, a residência em Medicina Esportiva aborda questões de atividades físicas e do esporte, ajudando pacientes de todas as idades e níveis de treino a melhorarem o desempenho e a qualidade de vida na prática esportiva. Essa especialidade é focada também em prevenir e tratar lesões e outros problemas que possam ser causados, ou até mesmo afetar, os treinos do paciente.


Tem ganhado cada vez mais espaço no mercado por conta da grande demanda por esses profissionais e pela busca de hábitos mais saudáveis por parte da população.


Agora que você já conferiu algumas dicas para decidir qual especialidade seguir, que tal ler um pouco mais sobre como funciona a residência para o profissional de Medicina? Você pode aproveitar para nos seguir nas redes sociais também e ficar por dentro de tudo que acontece na Humanitas.

8 visualizações

Posts recentes

Ver tudo