top of page

Portal de Notícias

Conheça o Internato da Humanitas


A rotina dos estudantes do curso de Medicina é movimentada desde o primeiro dia na faculdade e, ao longo dos semestres, o conteúdo teórico vai dando lugar às atividades práticas, até chegar ao Internato. Essa fase final do curso é um momento de aprendizado focado na rotina de hospitais, unidades de saúde e contato próximo com pacientes.


O Internato é um estágio obrigatório, que conta com a supervisão de professores e profissionais experientes, mas no qual os estudantes começam a ter alguma independência e encaram experiências como lidar com emergências e plantões de até 12 horas.


Outro aspecto importante desse momento para a formação do médico é o foco no trabalho em equipe e interdisciplinar, além do desenvolvimento de habilidades comportamentais como resiliência, empatia, flexibilidade e comunicação.


Após a conclusão do Internato e o registro no Conselho Regional de Medicina, o médico ainda pode optar por fazer uma residência, que é uma especialização em determinada área.


Como é o Internato na Humanitas


Na Humanitas – Faculdade de Ciências Médicas de São José dos Campos, o Internato ocorre nos principais hospitais da cidade, como o Hospital Municipal, Pio XII, Santa Casa e Clínica Sul, além das Unidades Básicas de Saúde da cidade vizinha de Jacareí.


A intenção é integrar os alunos ao meio social regional, tendo contato com a realidade da saúde nas cidades, com alinhamento à proposta educacional de ter uma visão integral do ser humano.


Rodolfo Fossa, 28 anos, começou o Internato na Humanitas em agosto de 2021. Para ele, vem sendo um período de amadurecimento, em que há aumento na carga de responsabilidade.


“É o ponto mais importante, porque é quando você começa a ter contato com o paciente, conhecer sua história, seu íntimo, e com essas informações, fará uma conduta para melhorar a qualidade de vida dele. A gente vê como cada área trabalha com o paciente. A pluralidade de cenários que a Humanitas proporciona é extensa, e conseguimos ver de tudo um pouco”, disse, lembrando que os estudantes estiveram em instituições públicas e privadas, e puderam ter contato com estruturas e protocolos diferentes.


Ele também citou algumas lições valiosas que vem aprendendo no período. “Na consulta, o mais importante é ouvir o paciente, e não procurar uma doença e curá-la. E tem que ter proatividade. Ninguém aprende de braços cruzados, esperando acontecer. Precisa de ação para casar com tudo que a faculdade fornece”.

Preparação para o mercado


Para Rodolffo, o Internato é o fechamento de um ciclo importante de estudos. “Depois de ver a homeostase, nos dois primeiros anos, e as patologias, no ciclo clínico, a gente chega ao Internato e junta tudo isso. Somos estimulados a estudar para aprender sobre cada caso. E passamos a ser enxergados como médicos pelos pacientes. O Internato é a pedra angular do curso, fecha tudo que aprendemos e nos fortalece para poder proporcionar o melhor”.


Segundo ele, o Internato da Humanitas traz tudo o que o estudante precisa para a entrada no mercado de trabalho. “A disponibilidade de cenários que a Humanitas oferece é o maior diferencial. É o que motiva a gente a estudar. E dá ao aluno a possibilidade de pensar em alternativas, qual carreira seguir”, afirmou Rodolffo, que decidiu fazer residência em Cirurgia Geral e avalia cursar também pós-graduação em gestão e vigilância epidemiológica.


Gostou do conteúdo? Você também pode saber mais sobre outros temas relacionados à Medicina no nosso blog, como o passo seguinte do Internato, a residência.

73 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page