top of page

Portal de Notícias

Anestesiologia - Saiba se essa é a residência ideal para você


Mãos segurando seringa e frasco com líquido anestésico

Você sabe como é a rotina de um anestesiologista? Se está interessado em conhecer melhor essas especialidade, acompanhe a partir de agora tudo sobre anestesiologia e saiba se essa é a residência médica ideal para você!


De acordo com a Demografia Médica de 2023, são 29.358 anestesiologistas em atividade no Brasil. Isso faz com que seja a quinta especialidade mais procurada, atrás apenas de Clínica Médica, Pediatria, Cirurgia Geral e Ginecologia/Obstetrícia.


Essa especialidade tem como principal objetivo a redução e controle da dor aguda e crônica, além de proporcionar a ausência de consciência quanto necessário, como em alguns procedimentos cirúrgicos de maior complexidade.


O anestesiologista, também chamado de anestesista, precisa ter uma formação multidisciplinar sólida, pois lida com informações sobre anatomia, fisiologia e farmacologia, por exemplo.

Essa especialidade também envolve interesse e conhecimento de tecnologias. Isso porque, além de aplicar a anestesia antes de um procedimento médico, o especialista também acompanha de perto as funções vitais do paciente durante cirurgias ou transporte de pacientes críticos, por meio de monitores e outros equipamentos tecnológicos.


Profissionais da área destacam atributos como atenção aos detalhes, tranquilidade, raciocínio sobre algoritmos e capacidade de tomada de decisão entre as características comportamentais mais importantes para a prática da anestesiologia.


Residência em anestesiologia


Para se tornar anestesista, o médico recém-formado precisa passar pela residência médica na especialidade, que tem acesso direto e três anos de duração.


Para obter uma vaga na residência, o candidato precisa fazer uma prova, na qual conteúdos de diferentes áreas são abordados, como Clínica Médica, Cirurgia Geral, Ginecologia e Obstetrícia, Pediatria e Medicina Preventiva e Social.


Aprovado, ele terá atribuições como interpretar a anatomia vascular; identificar e tratar as causas de sangramento e de outras complicações anestésicas intra e pós-operatório; avaliar e realizar a intubação e extubação traqueal; dominar o tratamento das arritmias cardíacas, entre outros.


No final do segundo ano da residência, é esperado que ele saiba planejar a anestesia para cirurgia de pequeno e médio porte; dominar as técnicas de anestesia geral e bloqueio de neuroeixo; manusear os monitores básicos e avançados; realizar bloqueios anestésicos e acessos vasculares guiados por ultrassonografia; dominar a montagem das bombas de infusão e as linhas de perfusão, além de manusear o aparelho de anestesia microprocessado.


E no terceiro ano, os estudos e prática têm com objetivo tornar o profissional capaz de dominar a avaliação pré-anestésica; comunicar-se efetivamente com médicos, outros profissionais de saúde, principalmente com o cirurgião durante ato operatório; dominar a escolha de fármacos anestésicos, os adjuvantes e outros de uso na anestesia; avaliar arritmias pelo ECG, entre outros.

A Sociedade Brasileira de Anestesiologia confere o Título Superior em Anestesiologia (TSA), o Título de Especialista em Anestesiologia (TEA) e o Certificado de Área de Atuação em Dor.


A residência em anestesiologia é pré-requisito para outras especialidades, como a Medicina Intensiva e a Medicina Paliativa.


Mercado de trabalho para anestesista


O campo de atuação é amplo e envolve trabalhos em diversos pontos no hospital, do centro cirúrgico aos setores de endoscopia e biópsia, passando pelo pronto-socorro. Essa especialidade também é uma das que oferece melhor remuneração.


O anestesista está presente nos momentos anteriores e posteriores às cirurgias, mas principalmente durante os procedimentos, monitorando a condição do paciente. Por isso, costuma passar a maior parte do tempo em hospitais. Também pode optar por realizar plantões.

A subespecialização em dor vem crescendo bastante e tem a característica de proporcionar maior contato clínico com os pacientes.


Gostou de conhecer essa especialidade? No nosso blog, você também pode conferir informações sobre outras carreiras, como oftalmologia, cardiologia e dermatologia.

9 visualizações

Comments


bottom of page